terça-feira, 1 de setembro de 2015

O marcador amarelo no estudo da redação para concurso



A teoria do marcador amarelo funciona! É mais ou menos assim: você escolhe, num texto, não mais do que seis palavras. Vai escaneando o documento e marcando as suas seis palavras, fazendo um zigue-zague bem rápido com os olhos. Ao definir as palavras-chaves do texto, você já o leu por inteiro.
Você pode começar a teoria do marcador amarelo (do seu word, é claro) por etapas. Na primeira semana, seja mais livre, mas não abra mão de marcar de amarelo apenas os trechos que você considera mais importantes no texto. Números, adjetivos, substantivos, nomes próprios. Não importa. É isso que vai ficar na sua cabeça! Se você já conhece o tema, falta-lhe, para uma ótima redação, apenas os detalhes, as estatísticas, alguns elementos de convencimento, o "x" da questão. Na segunda semana, aumente a velocidade da leitura, pule as palavras triviais e grude seus olhos naquilo que salta: "veto", "qualidade", "investimentos", "3 bilhões", e por aí vai.
Use sempre a teoria do marcador amarelo para fixar, com palavras-chaves, tudo o que você precisa para escrever uma excelente redação, um discurso, um relatório, um estudo, seja lá o que for. O lápis amarelo te dará uma memória fotográfica da informação, como um Raio X. As palavras de ligação, o recheio vem com a bagagem que você traz na sua vida. Com o excesso de informação da sociedade eletrônica, não vai faltar "liga", com certeza!
Depois me conte como foi a aventura de ler um "clipping" de notícias de 48 páginas em 15 minutos, talvez 20. Essa sou eu!